Quais os critérios que sua instituição levou em conta para adoção do PZP?

Este documento visa defender a escolha do PZP como solução CMS pelos órgãos de Governo.

  • Zope é uma companhia privada, isso não constitui um conflito de interesses com o dos órgãos públicos e a filosofia de software livre?

Desde janeiro de 2009 a propriedade intelectual do Zope (copyright do software e marcas registradas) foi transferida para a Zope Foundation [1], uma entidade sem fins lucrativos com governança transparente e democrática [2]

[1] http://foundation.zope.org/news/ip_transfer [2] http://foundation.zope.org/news/2010_election_and_general_meeting

Além disso, o framework Zope utiliza desde 1999 a licença ZPL [3] que é certificada como open source e reconhecida como compatível com a GPL pela Free Software Foundation.

[3] http://svn.zope.org/*checkout*/Zope3/trunk/ZopePublicLicense.txt?rev=25177

É importante diferenciar a Zope Corporation (zope.com) da comunidade desenvolvida em torno da plataforma Zope (zope.org). Um jornalista menos atento pode pensar que a Zope Corporation é dona do Zope, o que não é totalmente verdade.

  • O Plone dificulta a construção de CSS?

Ao contrário, o Plone entre todos os CMS modernos é o que oferece a infra-estrutura mais sofisticada para a customização visual via CSS.

  • Sendo o PZP uma solução livre, que é mantida por uma comunidade, que garantias de perpetuação do projeto pode-se ter?

Na verdade, essa questão parte de um pressuposto falso: os projetos que não têm garantia de continuidade são justamente aqueles desenvolvidos apenas por empresas, onde não existe um processo aberto de governança, o código é fechado e restrições de copyright impedem a continuidade do desenvolvimento pelos clientes, em caso de abandono.

O uso de uma licença open source é maior garantia de continuidade que pode existir em um software. Há vários anos a comunidade já contribui mais código para o Zope que os funcionários da Zope Corp, ou seja, o desenvolvimento já é sustentável independentemente da empresa.

Os projetos desenvolvidos de forma aberta e comunitária perpetuam-se enquanto existir uma massa critica de usuários e desenvolvedores, e não correm o risco de serem repentinamente cancelados e terminados, como ocorre com softwares proprietários.

Excluindo a questão legal, o que eu acredito que seja realmente importante é o comprometimento de quem implanta com o projeto. Se quem está implantando um projeto de software livre não conhece esse software e não se compromete a adota-lo de forma organica, inserindo o uso do software na cultura da instituição, nenhum software funciona.

As pessoas esquecem que implantar sistemas de informação exige comprometimento, dedicação e cooperação entre quem o usa e quem o desenvolve. Minhas maiores desilusões com software foram nos projetos onde os gestores não se envolviam no desenvolvimento, exceto para criticar o que não conheciam. Qualquer instituição que opte por implantar uma solução aberta e não queira ter o mínimo de envolvimento técnico com essa solução acabará criando uma relação de dependencia do integrador, o que em última instancia assemelha-se a dependencia que cria-se ao adotarmos uma solução fechada. Do que adianta adotar uma solução aberta se quem a usa não a conhece bem?

Garantia de continuidade depende de conhecimento.

Conhecimento requer cultura da organização para entender isso.

  • Quais e quantos órgãos, portais e sites de governo no Brasil e no mundo usam o plone e é um caso de sucesso?

entre outros...

  • EBC - Empresa Brasil de Comunicação
  • Presidência da República
  • SERPRO - Serviço Federal de Processamento de Dados
  • Correios
  • Interlegis
  • Senado Federal
  • Câmara dos Deputados
  • Sepro
  • Embrapa
  • Ministério do Desenvolvimento Social
  • Ministério das Relações Exteriores
  • Ministério da Justiça
  • Ministério do Exército
  • Ministério do Planejamento
  • ABIN
  • IBICT
  • Fome Zero
  • Brasil Gov
  • Unesco
  • Caixa Federal
  • Produradoria Geral da República
  • OAB-SP
  • Sebrae
  • Prefeitura de São Paulo
  • Prefeitura de Manaus
  • Por que Plone e não outro CMS?

http://www.packtpub.com/award http://www.packtpub.com/article/best-other-open-source-cms-award-final-plone

Esse site é especialmente interessante

http://www.cmsmatrix.org/

  • A Solução PZP é própria para atender no volume de acessos e dados?
  • O Plone apresenta dificuldades de aplicações com outras tecnologias? Existem exemplos de sucesso de interoperabilidade técnica com o Plone que podem ser repetidos no Portal Brasil?

voltar à pagina inicial

Última modificação 10 anos atrás Última modificação em 01/03/2010 18:12:30
 

The contents and data of this website are published under license:
Creative Commons 4.0 Brasil - Atribuir Fonte - Compartilhar Igual.